Você está aqui: Página Inicial > Notícias > IFMS mantém nota no Índice Geral de Cursos do MEC

Institucional

IFMS mantém nota no Índice Geral de Cursos do MEC

O curso superior de Licenciatura em Química, oferecido pelo Campus Coxim, obteve nota 4, considerada acima da média no Conceito Preliminar de Curso.
por Osvaldo Sato publicado: 20/12/2018 09h24 última modificação: 20/12/2018 10h44

O Ministério da Educação divulgou na última terça-feira, 18, o Conceito Preliminar de Cursos (CPC) de graduação e também o Índice Geral de Cursos (IGC) das instituições públicas e privada do país. Os dados referem-se ao ano de 2017.

O Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) alcançou o IGC 3, em uma escala crescente de valores de 1 ao 5. Foram consideradas as avaliações de quatro cursos superiores ofertados pela instituição: Licenciatura em Química (Coxim) e Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (Nova Andradina, Corumbá e Três Lagoas).

“O IGC 3 alcançado pelo IFMS demonstra que seguimos realizando um bom trabalho na implantação de nossos cursos superiores, considerando os dez anos de criação de nossa instituição, mas também que temos possibilidades de crescimento e melhorias na oferta do ensino superior”, afirmou o pró-reitor de Ensino do IFMS, Delmir Felipe.

Ao todo, 10.210 cursos de graduação e 2.066 instituições de ensino superior tiveram os conceitos CPC e IGC divulgados, respectivamente. Em outubro, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)  já havia divulgado o Conceito Enade e o Indicador de Diferença entre os Desempenhos Esperado e Observado (IDD).

O IGC é calculado anualmente pela média de conceitos, no período de três anos: o Conceito Preliminar de Curso (CPC), Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) e dos conceitos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) dos cursos de mestrado e doutorado.

Em 2017, o IFMS também alcançou a nota 3 no IGC referente ao ano de 2016.

CPC - O Conceito Preliminar de Curso é uma avaliação específica das graduações e compõem a média final do IGC. O conceito considera oito componentes agrupados em quatro dimensões, que avaliam a qualidade dos cursos.

Os fatores avaliados são: o desempenho dos estudantes no Enade; o valor agregado pelo curso ao desenvolvimento dos estudantes concluintes (IDD); o perfil do corpo docente (Censo Superior); e a percepção discente sobre as condições do processo formativo (Questionário do Estudante no Enade).

O curso superior de Licenciatura em Química do Campus Coxim alcançou a nota 4 no CPC, também em uma escala que vai de 1 a 5. A nota expressa que a média é maior do que a da maioria dos cursos avaliados.

"A nota do Conceito Preliminar de Curso alcançada pelo curso de Licenciatura em Química do Campus Coxim demonstra a excelência do trabalho realizada pelo IFMS, na formação de professores, que é uma das funções dos institutos federais", avaliou Delmir.

Os cursos superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas dos campi Nova Andradina e Corumbá obtiveram nota 3, considerada satisfatória. Este mesmo curso, ofertado em Três Lagoas, obteve a nota 2.

A diretora de Graduação do IFMS, Giane Moura, explica que, em 2019, será desenvolvido um plano de trabalho visando a melhoria nas avaliações para cursos que não obtiveram resultados satisfatórios.

“Iremos propor estratégias que compreendem treinamento dos coordenadores de curso, estudo do processo avaliativo do Ministério da Educação, assim como capacitação metodológica dos coordenadores e componentes do Núcleo Docente Estruturante (NED) e equipe pedagógica dos campi, visando a realização da prova do Enade”, afirmou Giane.

Os conceitos de todos os cursos de graduação do IFMS já avaliados pelo Inep estão na página Avaliação de Cursos.

Cenário Nacional - O Índice Geral de Cursos 2017 apontou que 20,5% das instituições de ensino superior no país estão nas faixas superiores à média, tendo recebido o conceito 4 ou 5. Na média encontram-se 66% das instituições avaliadas e, nas inferiores, com notas 1 ou 2, estão 13,5% do total.

Na avaliação específica, o CPC avaliou cursos de bacharelado e licenciaturas em Ciências Exatas e cursos superiores de tecnologia em Controle e Processos Industriais, Informação e Comunicação, Infraestrutura, Produção Industrial.

Uma menor parte - 9,5% dos cursos - encontram-se nas faixas 1 e 2 da avaliação. A maior parte - 52% - estão na faixa 3, considerada satisfatória, caso dos cursos de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas dos campi Nova Andradina e Corumbá.

Todos os resultados das avaliações estão disponíveis no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).