Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Projeto qualifica professores para atuação na educação especial

Nova Andradina

Projeto qualifica professores para atuação na educação especial

Atividades foram desenvolvidas desde abril e tiveram a participação de docentes de Nova Andradina e Ivinhema.
por Cleyton Lutz publicado: 29/11/2017 10h02 última modificação: 29/11/2017 10h14
Exibir carrossel de imagens Projeto de extensão foi encerrado com a certificação dos participantes

Projeto de extensão foi encerrado com a certificação dos participantes

O Campus Nova Andradina do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) encerrou na noite de segunda-feira, 27, as atividades do projeto de extensão “Qualificação tecnológica de professores para produção de recursos pedagógicos no atendimento do aluno com deficiência intelectual”. No total, 16 professores da educação especial dos municípios de Nova Andradina e Ivinhema receberam o certificado de conclusão do curso.

O foco do projeto foi o aperfeiçoamento na utilização de tecnologias, como telefones, tablets e notebooks, na elaboração de materiais didáticos voltados a estudantes com deficiência intelectual.

O coordenador do projeto, o professor de Informática Silvério Sousa, explica que a qualificação foi pensada a partir da necessidade que envolve a prática docente no contexto atual. “Em tempos de inovações tecnológicas e mudanças, a questão da formação continuada de professores nos espaços escolares é urgente. Nesta perspectiva, a melhoria das práticas pedagógicas desenvolvidas em suas rotinas de trabalho e em seu cotidiano escolar necessitam de atualizações”.

“Em tempos de inovações tecnológicas e mudanças, a questão da formação continuada de professores nos espaços escolares é urgente. Nesta perspectiva, a melhoria das práticas pedagógicas desenvolvidas em suas rotinas de trabalho e em seu cotidiano escolar necessitam de atualizações”, apontou o coordenador.

Dessa forma, durante as atividades do projeto foram discutidos temas voltados ao aperfeiçoamento na utilização do computador no dia a dia, procurando fazer com que os docentes entendessem a utilização da internet na busca de novos conhecimentos e compartilhamento de conteúdo. 

Também foi trabalhada a utilização dos editores de textos associados a imagens, aplicativos para edição de imagens e preparação de objetos didáticos concretos a partir das necessidades cotidianas dos professores. 

Os encontros foram realizados duas vezes por semana, na Escola de Educação Especial “Raio de Sol”, mantida pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Nova Andradina. Iniciada em abril, a qualificação teve carga horária total de 120 horas. 

Tecnologias – A professora Sandra de Fátima Gomes foi uma das participantes. Ela atua na APAE de Ivinhema e fez parte de um grupo de professores da entidade que acompanhou as atividades do projeto. 

“A qualificação contribuiu de maneira significativa, principalmente no que diz respeito aos recursos tecnológicos que podemos utilizar na preparação das aulas, visando proporcionar uma maior inclusão junto aos nossos alunos”, afirmou a professora. 

“A qualificação contribuiu de maneira significativa, principalmente no que diz respeito aos recursos tecnológicos que podemos utilizar na preparação das aulas, visando proporcionar uma maior inclusão junto aos nossos alunos”, afirmou a professora.

Para a diretora da Escola Raio de Sol, Cleonice Santos de Souza, a familiaridade com dispositivos tecnológicos como computadores, notebooks e celulares é indispensável para os docentes.

“Nossos estudantes hoje se mostram muito mais desenvolvidos nesse quesito, por consequência, exigindo bem mais dos professores”, ressaltou.

Ela também destaca a contribuição do projeto para o Planejamento de Ensino Individualizado (PEI), que funciona online, no qual são registradas todas as informações a respeito do atendimento prestado aos alunos de maneira individual. 

“Como foi um programa que começamos a utilizar esse ano, e alguns professores vinham apresentando dificuldades, a qualificação em tecnologias serviu também para nos auxiliar nesse sentido. Devido aos bons frutos gerados, esperamos manter a parceria com o IFMS no decorrer do próximo ano”, complementou a diretora.  

Apoio institucional – O projeto foi contemplado pelo Edital 008/2016 da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) do IFMS, destinado à seleção de propostas de extensão com concessão de bolsas estudantis e auxílio financeiro, com desenvolvimento entre abril e novembro deste ano. 

Além do coordenador, a equipe do projeto também contou com a estudante do curso técnico integrado em Informática do Campus Nova Andradina, Isabela  Crivelli, que atuou como bolsista, auxiliando na realização das atividades.

registrado em: ,