Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2021 > Campi completam uma década com novos desafios

Institucional

Campi completam uma década com novos desafios

Primeiras unidades do Instituto a entrar em funcionamento ajudaram a consolidar a educação profissional pública e a fortalecer a pesquisa científica em Mato Grosso do Sul
por Cleyton Lutz publicado: 02/02/2021 12h45 última modificação: 02/02/2021 13h10

10-anos-campi.png

Janeiro de 2021 marcou o aniversário de 10 anos de seis campi do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS). Ao iniciar uma nova década de existência, eles se juntam ao Campus Nova Andradina, primeiro da instituição a entrar em funcionamento, no ano de 2010 e atualmente completando 11 anos. 

As unidades do Instituto em Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Ponta Porã e Três Lagoas foram autorizadas a funcionar por meio de uma portaria do Ministério da Educação (MEC), publicada no dia 31 de janeiro de 2011

A publicação oficializou o início da oferta de cursos técnicos integrados nos respectivos municípios. Posteriormente, os campi também passaram a oferecer outros cursos técnicos, de graduação, de qualificação profissional, idiomas e especialização. 

O aniversário consolida a presença da instituição nas regiões em que as unidades se encontram, contribuindo para o atendimento das demandas locais. 

Também abre a perspectiva para novos desafios, buscando atender a missão da instituição que é de promover a educação de excelência por meio do ensino, pesquisa e extensão nas diversas áreas do conhecimento técnico e tecnológico, voltada a formar profissionais humanistas e inovadores. 

"O IFMS já completou 12 anos e, neste período, com a criação dos campi, uma a uma, as regiões do Estado receberam oportunidades novas. A instituição trouxe um novo jeito de pensar a educação profissional para Mato Grosso do Sul, com inovação e preocupação com a formação integral do estudante. Além disso, a pesquisa científica ganhou mais importância com os trabalhos desenvolvidos por nossos estudantes e professores", explica a reitora, Elaine Cassiano. 

Olhar para o futuro - Ao comemorar o primeiro decênio de existência, os campi planejam a próxima década de atividades e contribuições para a expansão da ciência e da formação integral em Mato Grosso do Sul:

campus-aq.png

Na região do Alto Pantanal, o Campus Aquidauana atende uma população de 100 mil habitantes, reunida em cinco municípios. A unidade oferece oito cursos técnicos (integrados e subsequentes), três de graduação e um de especialização, além dos de idiomas, qualificação profissional e a distância. O foco de atuação é nos eixos tecnológicos Informação & Comunicação, Infraestrutura e Gestão & Negócios.

"Conseguimos expandir, atendendo os anseios da comunidade, com a oferta de novos cursos superiores de tecnologia e bacharelado e do incremento do ensino técnico", destaca a diretora-geral de Aquidauana, Hilda Romero.

A sede do IFMS na cidade possui mais de 6 mil metros de área construída, que abriga laboratórios, salas de aula e administrativas, permitindo também a realização de atividades voltadas para práticas esportivas e culturais, desenvolvimento de pesquisas, projetos de extensão e ideias inovadoras, além dos cursos ofertados. 

“Além dos cursos técnicos oferecidos com a implantação do Instituto no município, conseguimos expandir, atendendo os anseios da comunidade, com a oferta de novos cursos superiores de tecnologia e bacharelado e do incremento do ensino técnico, com a oferta do subsequente” destaca a diretora-geral do Campus Aquidauana, Hilda Romero. 

Além de aumentar o número de cursos nos próximos anos, bem como diminuir a evasão e ampliar a permanência e êxito dos estudantes, ela enumera os principais desafios para a nova década que se inicia. “Planejamos construir o refeitório e o auditório do campus, desejos da nossa comunidade. Também pretendemos reestruturar a biblioteca e finalizar a aquisição dos equipamentos para os laboratórios”.

campus-cg.png

Na Capital do MS, onde também fica a reitoria da instituição, o Campus Campo Grande possui 9 municípios em sua área de abrangência. A população total da região passa de um milhão de habitantes. São ofertados quatro cursos técnicos (integrados e subsequentes), três de graduação, uma especialização e o mestrado profissional em Educação Profissional e Tecnológica, promovido em rede junto ao Instituto Federal do Espírito Santo (IFES). O foco de atuação é nos eixos tecnológicos Informação & Comunicação e Controles & Processos Industriais. 

"Os cursos oferecidos estão alinhados aos arranjos produtivos locais, e com isso devolvemos à comunidade centenas de profissionais preparados" , comenta o diretor-geral de Campo Grande, Dejahyr Lopes Júnior.

A unidade do Instituto na maior cidade do Estado possui mais de 8 mil metros de área construída, que abriga laboratórios, salas de aula e administrativas, permitindo também a realização de atividades voltadas para práticas esportivas e culturais, desenvolvimento de pesquisas, projetos de extensão e ideias inovadoras, além dos cursos ofertados. 

“Nosso campus tem proporcionado significativos avanços na Educação Profissional e Tecnológica para a Capital e região ao longo dos últimos 10 anos. Os cursos oferecidos estão alinhados aos arranjos produtivos locais, e com isso devolvemos à comunidade centenas de profissionais preparados para o mundo do trabalho, fazendo jus a nossa missão”, comenta o diretor-geral do Campus Campo Grande, Dejhayr Lopes Júnior. 

 Ao imaginar a próxima década, ele mira a importância de se ampliar a estrutura física da unidade. “Temos ainda o grande desafio no que tange à infraestrutura e é nessa frente que iremos trabalhar, buscando aumentar nossos espaços de salas de aula, para ofertarmos mais cursos e vagas. Precisamos crescer com novos blocos, refeitório, quadra coberta e demais obras”.

campus-cb.png

Na região do Baixo Pantanal fica o Campus Corumbá, que também atende ao município de Ladário, com uma população de mais de 130 mil habitantes. A unidade oferece três cursos técnicos integrados, dois de graduação e dois de especialização, além de idiomas, qualificação profissional e a distância. O foco de atuação é nos eixos tecnológicos Informação & Comunicação e Controles & Processos Industriais. 

"Buscamos desenvolver a comunidade local por meio da formação de jovens humanistas capacitados e envolvidos com as necessidades regionais", pontua o diretor-geral de Corumbá, Wanderson Batista.

A sede do IFMS na fronteira com a Bolívia possui mais de 6 mil metros de área construída, abrigando laboratórios, salas de aula e administrativas, permitindo também a realização de atividades voltadas para práticas esportivas e culturais, desenvolvimento de pesquisas, projetos de extensão e ideias inovadoras, além dos cursos ofertados. 

“Buscamos desenvolver a comunidade local por meio da formação de jovens humanistas capacitados e envolvidos com as necessidades regionais. Nosso objetivo é que os profissionais possam atuar em diversos setores, contribuindo para o desenvolvimento local, haja vista a formação obtida no campus destinada aos arranjos produtivos locais”, pontua o diretor-geral do Campus Corumbá, Wanderson Batista. 

Além de melhorias na infraestrutura da unidade, ele ressalta o potencial para inovação e o atendimento de necessidade locais na oferta de novos cursos, como caminhos que o campus deve tomar nos próximos anos. “Iremos fortalecer a nossa marca na formação empreendedora através do hotel tecnológico e da incubadora, proporcionando novas oportunidades aos jovens empreendedores formados pela instituição. Pensamos também na oferta de novos cursos, tendo em vista a necessidade local, como, por exemplo, cursos vinculados a piscicultura e reparo naval”.

campus-cx.png

Na região do Alto Taquari, o Campus Coxim possui dez municípios em sua área de abrangência, com uma população de mais de 130 mil habitantes. São seis cursos técnicos (integrados e subsequentes), quatro de graduação e um de especialização, além dos de idiomas, qualificação profissional e a distância. O foco de atuação é nos eixos tecnológicos Informação & Comunicação, Produção Alimentícia e Recursos Naturais. 

"Nossa intenção é consolidar a oferta de educação técnica e tecnológica, gratuita e de qualidade, no norte do Estado, com o intuito de promover o desenvolvimento regional", explica a diretora-geral de Coxim, Ângela Kwiatkowski.

A sede do IFMS na cidade possui mais de 6 mil metros de área construída, que abriga laboratórios, salas de aula e administrativas, permitindo também a realização de atividades voltadas para práticas esportivas e culturais, desenvolvimento de pesquisas, projetos de extensão e ideias inovadoras, além dos cursos ofertados. 

“Nossa intenção tem sido a de consolidar a oferta de educação técnica e tecnológica, gratuita e de qualidade, no norte do Estado, com o intuito de promover o desenvolvimento regional através da formação de profissionais habilitados para o mundo do trabalho”, explica a diretora-geral do Campus Coxim, Ângela Kwiatkowski. 

"Nos próximos anos, pretendemos continuar fortalecendo nossos cursos já implantados e diversificar a oferta de educação a distância. Também vamos buscar parcerias estratégicas para a região, além da construção do barracão de aquicultura e pesca e da estruturação das áreas de convivência", completa a diretora.

campus-na.png

Na região do Vale do Ivinhema, o Campus Nova Andradina foi o primeiro a completar, no ano passado, uma década de existência e a iniciar uma nova etapa de consolidação ainda em fevereiro de 2020. A autorização para funcionamento da unidade foi dada por uma portaria do MEC, publicada em 21 de setembro de 2010. Atualmente com 11 anos, o campus foi concebido inicialmente como Escola Agrotécnica Federal de Nova Andradina, passando a integrar os campi do IFMS a partir da reestruturação da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, em 2008. 

"A principal contribuição está na manutenção dos talentos na região, que antes saíam em busca de formação, e hoje colaboram com o arranjo produtivo local",  afirma o diretor-geral de Nova Andradina, Claudio Sanavria.

 Atendendo oito municípios da região, com quase 135 mil habitantes, a unidade oferta três cursos técnicos (integrados e subsequente), três de graduação, um de pós-graduação e dois de especialização, além dos de idiomas, qualificação profissional e a distância. O foco de atuação é nos eixos tecnológicos Informação & Comunicação e Recursos Naturais.

A sede do IFMS na cidade possui quase 8 mil l metros de área construída, que abriga laboratórios, salas de aula e administrativas, permitindo também a realização de atividades voltadas para práticas esportivas e culturais, desenvolvimento de pesquisas, projetos de extensão e ideias inovadoras, além dos cursos ofertados. 

“O Instituto é importante para o desenvolvimento de Nova Andradina e região, seja pelas oportunidades de formação, seja por meio de projetos de pesquisa e extensão voltados a comunidade. A principal contribuição está na manutenção dos talentos na região, jovens que antes saíam da cidade em busca de formação profissional e que hoje permanecem e colaboram com o arranjo produtivo local”, afirma o diretor-geral do Campus Nova Andradina, Claudio Sanavria. 

Ele coloca como principal desafio para os próximos anos a ampliação dos cursos ofertados, especialmente os de pós-graduação. “Buscaremos consolidar nossos cursos e avançarmos nossa oferta em nível de pós-graduação, abrindo especializações e mestrados, o que fará de Nova Andradina um importante polo acadêmico na região do Vale do Ivinhema”.

campus-pp.png

Na região Sudoeste do Estado, a instituição é representada pelo Campus Ponta Porã. Na fronteira com o Paraguai, a unidade possui uma área de abrangência que reúne municípios com uma população de mais de 200 mil habitantes. São ofertados quatro cursos técnicos (integrado e subsequente), dois de graduação e um de especialização, além dos de idiomas, qualificação profissional e a distância. O foco de atuação é nos eixos tecnológicos Informação & Comunicação e Recursos Naturais. 

"Buscamos atender aos anseios da região, onde também se encontra o assentamento Itamarati, o maior da América Latina", salienta o diretor-geral de Ponta Porã, Izidro Lima Júnior.

A sede do IFMS na cidade possui mais de 6 mil metros de área construída, que abriga laboratórios, salas de aula e administrativas, permitindo também a realização de atividades voltadas para práticas esportivas e culturais, desenvolvimento de pesquisas, projetos de extensão e ideias inovadoras, além dos cursos ofertados. 

“Trata-se da maior instituição de ensino do município. Nossos cursos vão de encontro as necessidades da região e estão voltados prioritariamente às Ciências Agrárias e Informática. Buscamos atender aos anseios da região, onde também se encontra o assentamento Itamarati, o maior da América Latina”, salienta o diretor-geral do Campus Ponta Porã, Izidro Lima Júnior. 

Para os próximos, algumas necessidades são melhorar o acesso à unidade e aumentar os cursos de pós-graduação. “Como o campus fica a 12 quilômetros da área urbana, tornar o acesso mais fácil com a viabilização de uma ciclovia e melhorar a iluminação da pista traria grandes benefícios para a comunidade. Outro desejo diz respeito a verticalização dos nossos cursos, aumentando a oferta de pós-graduação na fronteira”.

campus-tl.png

Já na região Leste do MS, o Campus Três Lagoas atende 11 municípios, que possuem juntos uma população de 275 mil habitantes. Lá são oferecidos quatro cursos técnicos (integrados e subsequente), quatro de graduação e um de especialização, além dos de idiomas, qualificação profissional e a distância. O foco de atuação é nos eixos tecnológicos Informação & Comunicação e Controles & Processos Industriais. 

"Com a região em franco desenvolvimento, nossos cursos, voltados a Computação e Eletrotécnica, visam atender o crescimento local", diz o diretor-geral de Três Lagoas, Walterísio Carneiro Júnior.

A sede do IFMS na cidade possui mais de 6 mil metros de área construída, que abriga laboratórios, salas de aula e administrativas, permitindo também a realização de atividades voltadas para práticas esportivas e culturais, desenvolvimento de pesquisas, projetos de extensão e ideias inovadoras, além dos cursos ofertados. 

“Hoje em Três Lagoas temos o polo de maior industrialização e área com mais exportações no Estado. Com a região em franco desenvolvimento, nossos cursos, voltados a Computação e Eletrotécnica, visam atender o crescimento local. Também buscamos fazer a conexão com as empresas para que os estudantes durante o período de estágio já frequentem esse tipo de espaço”, diz o diretor-geral do Campus Três Lagoas, Walterisio Carneiro Júnior. 

De acordo com o diretor, o processo de fortalecimento dos cursos, bem como o combate a evasão estudantil fazem parte da linha de atuação do campus no futuro. “Um dos nossos desafios é consolidar o formato do ensino verticalizado. Por meio do trabalho realizado na unidade e do aperfeiçoamento nas formas de atendimento, outro objetivo é fortalecer os cursos já ofertados, bem como melhorar os índices de permanência no ensino médio”. 

Além das unidades em Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas, o IFMS também possui campi em Dourados, Jardim e Naviraí, que entraram em funcionamento posteriormente e também oferecem cursos técnicos, de graduação e especialização, além dos de idiomas, qualificação e a distância.

Mais informações sobre a implantação dos campi estão disponíveis na página História do IFMS.

Dez anos do IFMS - A instituição foi criada no dia 29 de dezembro de 2008, data de publicação da Lei nº 11.892, que instituiu a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. O IFMS completou dez anos de criação em 2018 e uma série de eventos marcou a data.

Foram realizadas homenagens a ex-gestores, jovens que se formaram no Instituto Federal e parceiros públicos e privados. Além disso, o o IFMS foi o vencedor do concurso para a escolha do selo comemorativo dos 10 anos dos Institutos Federais, promovido pelo Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).